O manual do playback: como identificar quando alguém está dublando?

Muito se fala sobre playbacks em shows, especialmente os de música POP, onde muitas vezes os artistas não apenas cantam, mas precisam dançar, tocar instrumentos e fazer acrobacias maiores. O uso desse recurso provoca polêmica e não é de hoje: na performance mais recente que marcou o retorno de Madonna, no Super Bowl, foi marcada por comentários de blogs brasileiros em relação ao playback que a cantora usou em Music e Give me all your luvin, estaria Madonna errada por usar playback em músicas onde ela dança e corre por um palco gigantesco o tempo todo?

O governo chinês, conhecido por sua rigidez, após o episódio das Olimpíadas de Pequim onde uma garotinha dublava decidiu proibir o uso do playback no país, daquela data em diante, qualquer artista que utilizar-se do recurso terá de pagar multa. Sempre que Britney Spears  sai em tour, os críticos ressaltam o uso abusivo de playback (ela é conhecida por usar o recurso em todas as músicas de seus shows, inclusive nas baladas, onde ela está sentada e não faz absolutamente nada). Em um show realizado em Albany, Britney passou maus bocados e precisou cantar realmente ao vivo (por cima dos vocais que usavam no playback, nesse caso), pois na cidade o playback também é proibido.

Michael Jackson também já abusou do playback, usando-o em várias performances na TV e também em sua HIStory tour, onde usou o recurso em todas as músicas do show.

O que tem de ser avaliado sobre o playback é a qualidade da performance do artista: se ele está parado, cantando uma balada, não há razão alguma para que ele use playback, agora se ele está se movendo pelo palco exaustivamente, executando coreografias complexas ou acrobacias, é necessário o uso do mesmo, pois isso com certeza afetará os vocais e ele ficará ofegante. Sim, performers também são humanos (as)! Aprenda agora com o Disco Punisher a identificar e diferenciar playback, lives e bases.

  Playback:

denomina-se por playback aquele áudio onde a voz do artista é gravada em estúdio e é usada em performances ao vivo enquanto o artista só fica dublando,

Britney Spears

é a principal a usar playback, até em baladas onde ela parada, a ex-dançarina costuma usar playback. Playback pode incluir banda ao vivo com vocais do estúdio ou até mesmo o áudio da banda pode ser gravado, o que torna a coisa mais absurda ainda.

Base:

a maioria dos artistas POP utiliza a base em seus trabalhos, trata-se de um vocal pré-gravado no estúdio com a voz sem filtros ou tratamentos, esses vocais são adicionados nas performances enquanto os artistas cantam por cima dele ao vivo. As bases são geralmente usadas quando existem coreografias pesadas durante as performances e é comum os fãs confundirem bases com playback puro. Madonna, Justin Timberlake, Kesha, Lady GaGa e Beyoncé costumam usar esse recurso tanto em performances de TV, tanto quanto em tours.

Live:

o live, como o próprio nome diz, é quando o artista canta ao vivo, sem a ajuda de base ou qualquer coisa do tipo, apenas backing vocals e a banda. É raro um tanto raro ver esse tipo de apresentação hoje em dia, exceto em shows de rock, onde os caras mal se preocupam em cantar de maneira afinada e harmoniosa, é claro. Nos anos 90 quando Mariah Carey possuía bons vocais, ela não cansava de sair por aí cantando ao vivo e encantando a todos, infelizmente o quadro mudou bastante a partir de 2000 e até ela começou a usar playback. Kylie Minogue, Christina Aguilera, Nicola Roberts,

Girls Aloud

, Adele e Jessie J (as últimas citadas nem teriam motivos para usarem base/playback) são conhecidas por cantarem cada música de seus shows ao vivo.

Como identificar um playback?

– Para entedimento de todos os tópicos, abra os links contidos neles.

1 – Conheça a voz do seu ídolo: a primeira dica pode parecer bem óbvia, mas não é, muitos fãs realmente confundem a voz ao vivo e do estúdio. As vozes das cantoras realmente mudam conforme o tempo, os discos etc., então é importante conhecer o timbre de cada época/era analisada.

2 – Saiba a maneira como seu ídolo normalmente performa: Se seu ídolo se mostrava mais travado vocalmente para cantar alguma música e de repente começa a cantar a mesma música de maneira confortável e “mais solta”, desconfie! Ali pode estar escondido um belo playback! – Note as diferenças no comportamento e desenvoltura de Jennifer Lopez, no primeiro vídeo a performance é ao vivo e no segundo playback.


3 – Ninguém dança e canta intensamente sem ao menos ofegar um pouquinho:

Na Oops! Tour de Britney Spears, a cantora usa áudios pré gravados de sua voz sem filtro algum para parecer que tudo é ao vivo, mas assim que ela começa a pular na cama em “Born to make you happy” é perceptível o playback em todos os números do show (aqui, Britney Speas canta a mesma música sem playback, a diferença é gritante).

4 – A voz de artista nenhum ao vivo é igual a voz apresentada no estúdio: Essa regra vale para qualquer um, seja cantor de ópera ou cantor POP, a voz que os fãs ouvem nos discos geralmente recebem inúmeros tratamentos, a respiração é diferente e até mesmo o tom.

5 – Assista a mais de uma performance ao vivo: para os fãs de verdade, assistir a todas as performances que encontrar no youtube é uma regra, mas os desleixados assistem apenas uma ou duas. A voz ao vivo nunca vai soar igual duas vezes, por melhor que o artista seja, se o vocal estiver idêntico em todas as performances, pode ter certeza de que existe playback nelas.

6 – Ambientação e microfone: Preste sempre atenção no tipo de microfone que o artista está usando, se for microfone de mão, há mais chances de que a performance seja ao vivo ou apenas com base, se o microfone for head-set é bem possível que seja playback, é claro que isso não é uma regra, na Monster Ball Tour, a performer Lady GaGa usa head-set na maioria das performances e todas elas contém base, exceto por “You and I” (e poucas outras) que é com microfone de mão e é totalmente ao vivo.

7 – Notas, afinação e técnica: Nessa geração temos uma leva grande de cantoras POP com técnicas vocais duvidosas, Katy Perry apresentou-se no Grammy com duas músicas: ET e seu mais novo single, Part Of Me, a primeira foi com playback descarado (a voz permanecia como a do estúdio, quase impecável) , por que a certeza? Simples, a ausência de notas semitonadas também normalmente é indício de playback, a não ser que seja uma cantora de ópera ou de técnica exímia, em algum momento da performance a cantora provavelmente vai semitonar ou dar uma leve desafinada.

8 – Vídeos: Não se contente apenas em ver vídeos oficiais, DVDs e televisionados, eles enganam muitas vezes, experimente ver vídeos amadores, desses gravados por fãs em shows mesmo. Eles são uma fonte, as vezes até muita mais segura pra conferir os vocais de determinados artistas, afinal de contas, esses vídeos não passam por edições profissionais. – Note nos vídeos selecionados as diferenças nos vocais de Madonna sem edição e com edição – a voz sem edição fica mais grave, mais encorpada.

Por: Alisson Prando


2 comentários sobre “O manual do playback: como identificar quando alguém está dublando?

  1. haha por isso não curto essas porcarias. sou mais minhas bandas que sabem fazer ao vivo, que tocam de verdade, em fez dessas pseudocantoras cheia de dancinhas pra esconder talento pessimo.

    Curtir

Os comentários estão desativados.